Artistas de palmo e meio

A Creche e a Estrutura Residencial para Pessoas Idosas da Obra de Santa Zita da Penha de França, em Lisboa, fizeram a sua Festa de Natal de 2019 usando uma das formas de comunicação artística humana mais eficazes para ensinar, reflectir e partilhar: o teatro.

Desde já, uma menção honrosa para a colaboração generosa, preciosa e também artística dos pais e mães que interpretaram alguns personagens: Nossa Senhora, São José, Rei Herodes, Jesus (adulto) e o Narrador.

A tradição da representação teatral de episódios da Sagrada Escritura, marcando o chamado Tempo Litúrgico, nomeadamente o Advento, Natal e a Semana Santa, é muito antiga em toda a Europa cristã, incluindo em Portugal. Entre nós, durante séculos, ficaram célebres as Moralidades – pequenas encenações teatrais, muitas vezes acompanhadas por momentos musicais. E facilmente se compreende a sua importância e eficácia: como a Missa era celebrada em latim e ainda não havia tecnologia de amplificação do som para a Homilia, a catequese difundida através do teatro acabava por ser a mais eficaz.

O texto teatral escolhido para a festa deste ano – Os três burritos cinzentos – é magnífico. O primeiro burro é o que marca presença no presépio, o segundo é o que ajuda a Sagrada Família a viajar para o exílio no Egito. O terceiro burro é o que, mais de 30 anos depois, transporta Jesus para uma entrada triunfal em Jerusalém, por entre muitos ramos de oliveira e palmeira entusiasticamente agitados.

Cada burro faz uma pergunta inteligente! O primeiro pergunta assim: que menino será este, que faz brilhar a luz na escuridão e para quem os anjos cantam? O segundo: quem será este menino, que faz inveja ao próprio rei? E o terceiro: porque será que recebem este homem pobre como se fosse o rei?

É evidente que todo o espectador é convidado a reflectir sobre a melhor resposta a dar a estas perguntas. Este propósito ficou muito claro logo no início da festa quando a Diretora Técnica, Olívia Aires, depois de dar as boas vindas, explicou que importa muito que descubramos no presépio valores e princípios que devemos aprender e praticar na nossa vida.

Como não podia deixar de ser, a festa terminou com um momento especial de convívio, incluindo lanche partilhado.