Avós, uma geração muito estimada

Na Obra de Santa Zita da Estrela o dia teve um “sabor” a ternura. Logo pela manhã foram recebidos netos para visitar avós aqui a residir. Os que não conseguiram vir mostraram-se interessados. A relação entre estas duas gerações não aconteceu, apenas, presencialmente, percebeu-se uma união sem fronteiras… 
Uma alegria e uma amizade inexplicável pairavam nas expressões dos avós e netos. 
De tarde unimo-nos para a celebração da Eucaristia, aqui o agradecimento pelo dom de ser avó e avô teve uma importância muito especial. Mil graças para os netos foram imploradas e o desejo do maior bem para os netos foi a oração mais querida por todos. No meio de tantos os que são avós, no verdadeiro sentido da palavra, estavam os que por alguma razão não foram avós, mas a comemorarem a efeméride com um verdadeiro sentido de homenagem, pois a maior parte das utentes que não foram avós dedicaram a sua vida à família, fazendo-o como o seu principal projecto de vida, concretamente, a consagração no Instituto secular das Cooperadoras da família e as Associadas da obra de Santa Zita. 
Por fim, um convívio preenchido de testemunhos, poesias, quadras sobre a experiência de cada um no seu papel de avós. Enfim, muitas emoções, acompanhadas de lágrimas de alegria e vida. Um coro culminou a festa com vozes harmoniosas. Actores e expectadores, todos tiveram um pouco.
As fotos revelam muito mais que todas as palavras aqui registadas.
Parabéns aos avós, é o que sai do nosso coração! Obrigada a todos os que promovem a família unida! Contem connosco, nós contamos convosco!