Pão por Deus

“Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós.
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados.
À porta da bela cruz
Truz! Truz! Truz!/
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho.
Faz favor de s'alevantar
P’ra vir dar um tostãozinho.”

Ou simplesmente: “Pão por Deus/Fiel de Deus./Bolinho no saco/Andai com Deus.”

A cantiga é antiga e a história também! Diz-se que este costume foi cimentado um ano depois do terramoto de 1755, em que no dia 1 de Novembro, a população de Lisboa que ficou em condições precárias, saiu à rua, a bater de porta em porta, pedindo aos mais afortunados alguma coisa para comer. Esta tradição manteve-se, principalmente fora das grandes cidades, porém com algumas alterações: passou a ser realizada apenas por crianças e, em vez de pão, passou-se a dar também bolos, doces ou guloseimas.

Sendo esta uma tradição bem portuguesa, no início do mês de Novembro, as crianças da Sala dos Golfinhos tiveram a oportunidade de a conhecer! Fizeram um ‘peditório’ pela instituição a pedir o “Pão por Deus” e era com alegria e satisfação que recebiam as diversas ofertas.

Através desta história da cultura portuguesa, foi possível trabalhar dois princípios fundamentais para as nossas crianças: a solidariedade e a intergeracionalidade. A interacção com os mais velhos, neste caso, as utentes de ERPI (Estrutura Residencial para Pessoas Idosas), proporcionou momentos de convívio e muita alegria para ambas as partes.