Testemunhos

 

Queridas Senhoras da Obra de Santa Zita!

Quero informá-las, que a minha tia Ingelore está quase sem sentir dores, nem medo nem outros problemas de maior. Por isso, quero-vos dizer que também é mérito vosso este seu estado de tranquilidade …

Agradecer muito, pelo vosso apoio humano, enviando-nos as vossa colaboradoras ajudantes de serviço doméstico que se manifestaram muito amigáveis e muito experientes.

Ingelore dizia, habitualmente: "Eu sinto-me a Rainha de Portugal; como é possível haver assim pessoas como estas senhoras tão amorosas e trabalhadoras a tratarem-me assim tão bem!?"

Vocês sabem do meu contacto, por isso em qualquer momento, estou ao dispor para qualquer esclarecimento.

Piet Oehmichen


 

“É com o meu mais sincero reconhecimento que lhe venho agradecer a gentileza e paciência com que a senhora sempre me tratou e atendeu. (…) Muito e muito obrigada por tudo.”

Uma utente de SAD


 

“Quando a selecção “do lar” onde colocar minha mãe, por impossibilidade de a manter em casa, ficámos desde logo atraídos pela OSZ pelo modo como fomos atendidos, como nos foram mostradas as instalações e pelo acolhimento ao envolvimento da família nas visitas e possíveis comunicações de hábitos e medicação.

Minha mãe ocupou o quarto (…) onde foi possível recriar o seu ambiente doméstico, até na orientação da luz natural. Na fase em que entrou (…) sentada na sua cadeira de rodas e com os pés colocados na armação da sua modesta mesa suponho que nem se terá apercebido que não estava em casa.

Visitei-a praticamente todos os dias às mais variadas horas e dava gosto ver a sua postura de tranquilidade e higiene.

A partir da altura em que minha mãe entrou na Obra, e como consequência do que descrevi, passei a dormir descansado.

Por último, por ser o mais importante, uma palavra sobre os intervenientes institucionais. Todos desempenhando um papel de carinho e competência, fruto da experiencia e vocação, chefiados por uma verdadeira líder omnipresente.”

Um filho


 

“Foi uma grata colaboração e um encontro que nos ligou para sempre por várias razões conhecidas.

O seu fim não era o esperado e foi um grande choque para nós e certamente também para a equipa que nos acompanhou. Foram inexcedíveis e reconhecidamente testemunhamos a qualidade que fez desse grupo uma equipa diferente, orientada para a humanização dos serviços, para os apoios técnicos e funcionais da atenção ao outro, da presença, da companhia, do carinho… que a todos é tão necessário.

Presentes com um sorriso cativante e em permanente disponibilidade.

Quis a nossa querida Mãe partir para outros jardins, de sorriso aberto e doce e expressão serena, como ela era.

Foi a vontade de Deus.

Que Deus a guarde no seu descanso eterno e recompense quem, com carinho, ternura e muito profissionalismo a acompanhou, cuidou e animou enquanto esteve sob a protecção direta de Santa Zita.

Um renovado obrigado a todas que nos acompanharam em tudo o que foi necessário desde o início e que nos permitiu passar esta fase tão difícil com menos desconforto e solidão da ausência.”

Uma filha e suas irmãs