Familiar em Casegas - 50 Anos de Existência

Obra de Santa Zita da Póvoa de Varzim e Centro de Cooperação
Familiar em Casegas - 50 Anos de Existência

Trata-se de duas Instituições fundadas pelo mesmo Fundador – Venerável Padre Joaquim Alves Brás – a celebrar os seus 50 anos de existência ao serviço da família. As duas Instituições com o mesmo carisma e uma missão tão semelhante e complementar: Obra de Santa Zita da Póvoa de Varzim e Centro de Cooperação Familiar, em Casegas.

Na Póvoa de Varzim o momento alto deste jubileu aconteceu no dia 24 de Junho de 2012 na celebração da Eucaristia Paroquial da Matriz às 11h30m, presidida pelo Reverendo Pároco, Senhor Padre António Torres, concelebrada pelo Senhor Padre Apolinário, que acompanha a Obra, nomeadamente, através da celebração da Eucaristia diária, ao longo dos últimos 22 anos.

Nesta celebração foi manifestado, pela Presidente Nacional da Obra de Santa Zita, Maria do Céu Campos Simões, um profundo reconhecimento por toda a colaboração do Instituto Secular das Cooperadoras da Família, para com a Obra de Santa Zita, lembrando que, são Instituições fundadas pelo mesmo Fundador, Venerável Monsenhor Joaquim Alves Brás, e têm uma missão muito semelhante e complementar; a esse propósito, reforçou: “sabemos e reconhecemos a presença das Cooperadoras da Família como motor dinamizador desta Obra que, sem aquele, não teria possibilidades de desenvolver e tornar presente tão nobre carisma e missão. Muito obrigada pela presença da Coordenadora Geral do Instituto, Dulce Teixeira de Sousa.Estamos hoje aqui reunidos para agradecer a Deus o dom da Obra de Santa Zita presente há 73 anos nesta localidade da Póvoa de Varzim; mas, principalmente, celebramos hoje os 50 anos do seu actual edifício, para onde vieram residir as primeiras Cooperadoras da Família, no dia 13 de Junho de 1962.

No decorrer desta celebração foram homenageadas as 5 Associadas da Obra de Santa Zita, que completaram os 50 anos de pertença à Associação, às quais a Presidente Nacional, entregou uma medalha comemorativa deste jubileu.

Por fim, a Directora Local da Obra, Etelvina Cardoso, teceu palavras de agradecimento a toda a comunidade paroquial, entre outros presentes e frisou que esta festa, “vai continuar, no esforço quotidiano de bem realizarmos a nossa missão de acolhimento às famílias, muito especialmente através da colaboração na educação dos mais pequeninos e através da ajuda a todos os que, nas mais variadas situações de dificuldade, vão aparecendo e usufruindo do ambiente daquela casa e da dedicação dos que nela dão a sua vida, tal como tem acontecido ao longo destes 50 anos.”

Em Casegas, terra natal do Venerável Padre Brás, a celebração ocorreu no passado dia 22 de Julho, tendo envolvido toda a comunidade paroquial. Um dos momentos aconteceu no salão do Centro, onde foi evocado o jubileu deste edifício, “palmilhando”, e trazendo à feliz memória de muitos dos presentes, os momentos mais marcantes da sua história de acção e de bem-fazer, ao longo destes 50 anos. O ponto alto foi a celebração da Eucaristia, presidida por Sua Excelência Reverendíssima, Dom Manuel da Rocha Felício, Bispo da Guarda, concelebrando o Reverendo Padre António Serra, Pároco da Paróquia  Esta celebração constituiu um profundo momento de acção de graças pela existência deste edifício que, quase na sua totalidade, a expensas do Fundador, servindo-se para tal, de heranças dos seus familiares, e ainda da colaboração prestimosa de muitos Caseguenses, na oferta generosa de dádivas e sobretudo na oferta do seu trabalho na construção. Esta construção encontra-se, neste momento, totalmente remodelada, apresentando uma qualidade ímpar à qual, as responsáveis do Centro de Cooperação Familiar, hão-de atribuir uma funcionalidade condizente com o pensar inicial do seu Fundador, embora actualizado aos novos tempos e novas necessidades. D. Manuel da Rocha Felício, na Eucaristia, referiu, com ímpar satisfação, e desafiou a comunidade paroquial a tornar presente, a realidade palpável do alfobre de vocações que tem sido, ao longo dos tempos, esta paróquia. Realçou o Venerável Monsenhor Joaquim Alves Brás, como um dos frutos mais estimulantes da sua história, referindo as obras a que ele deu origem – Obra de Santa Zita, Instituto secular das Cooperadoras da Família, Movimento por um Lar Cristão, bem como todas as actividades daí decorrentes, nomeadamente os Centros de Cooperação Familiar - como uma mais-valia na promoção pela dignificação das famílias, na sociedade actual. O Sr Bispo quis ainda, com um entusiasmo relevante, apreciar a estimulante presença de um grupo de cerca de vinte jovens, ligados a esta família do Venerável Monsenhor Brás, que se encontravam numa colónia de férias na Casa de Santa Zita da Covilhã, e quiseram estar presentes nesta festa, com a sua inerente juventude, o que muito alegrou e estimulou todos os presentes, bem como as Instituições que, neste dia, se uniram para celebrar este jubileu. Na homilia, o Sr Bispo, reflectindo em aspectos relacionados com as leituras deste domingo, alertou a necessidade dos “pastores” – bem podem chamar-se pastores, todos os que têm a missão de educar – apontarem caminhos de autêntica verdade e coerência, desafiou os educadores a nunca seguirem pelo caminho do mais fácil para com os seus educandos, desfiando mesmo a que os pastores não tenham receio de refrear “falsos entusiasmos”, de dizer “não”, quando essa resposta é a única que conduz ao encontro da VERDADE de Jesus Cristo. Terminou, afirmando que “o mundo de hoje anda um bocadinho distraído, mas também existem sinais de que as grandes intuições, como as do Venerável Monsenhor Alves Brás, hoje têm oportunidade de se actualizar com outra criatividade”.

Convidamos todos os leitores a engrossar, com a Obra de Santa Zita, o nosso louvor a Deus, por tão grandes obras, e especialmente, por este Centro de Cooperação Familiar, em Casegas, Terra Natal do seu Fundador, para que, em tempos tão difíceis como os que vive o nosso país, este Centro possa constituir um oásis para muitos, nomeadamente, no encontro consigo mesmo, na reflexão e no recolhimento, em momentos de pausa, hoje tão necessários na vida de todos nós.