História

Em 1930, surgiu a associação de empregadas domésticas, com a colaboração do Sr. Pe. Morgadinho, com reuniões mensais, em S. Martinho;

Em 1932, implementou-se assim a Obra nesta cidade;

Em 1933 – Arrendou-se a Casa para abrigo e alimento das sócias desempregadas e raparigas que surgiam pela 1ª vez na cidade;

Em 1938 Formou-se a sede da Obra, na Casa de Retiros para onde foram viver (Rua Ruy Faleiro, 44);

Em 1944, teve início a Escola Profissional e Doméstica;

Em 1945, a Casa de Retirosapesar de não estar preparada começa a receber algumas pessoas que necessitavam de acolhimento na Covilhã; e a vender bolos;

Abertura o posto médico,que despertou movimento de simpatia pela Obra por querer preservar a saúde da Família, vigiando a saúde das Empregadas”.

Alugou-se outra casa, na Rua S. João Abrares – “mais ampla, permitindo manter todos os serviços sociais e dar maior desenvolvimento à Obra:

  • Escola Profissional
  • Posto Médico
  • Secretariado de Colocações
  • Cantina
  • Abrigo
  • Serviços de: cozinha/mesa; quartos/limpeza/roupa/engomados; Corte/Costura.
  • Aulas de leitura: quem não sabia, ou tinha poucas bases, para se aperfeiçoar.

Neste ano a Casa de Santa Zita de Lisboa sofre um grande incêndio, encontrando-se, na Covilhã o Monsenhor Brás, que foi de imediato para Lisboa; Há a iniciativa de ajudar a casa de Lisboa com venda de rifas;

Em 1946, abertura do Dispensário Médico;

Em 1962, Comprou-se o terreno para a construção da nova e actual Casa de Santa Zita;

Em 1963, Inauguração da Casa de Santa Zita, a 19 de Maio.

Recebe a seguir 5 crianças, pela primeira vez, filhos de casais em que ambos trabalhavam: dois eram filhos de uma professora, um de uma Analista; duas filhas de ex-associada e empregada a dias; rapidamente alargou-se a outras famílias.

Em Outubro 1976, abre como Jardim de Infância, ficando a funcionar, a partir dessa data, as respostas de Creche e Pré-escolar, até à data actual