Encerramento do ano 2017/2018

“O bonito desta vida é poder costurar sonhos, bordar histórias e desatar os nós de nossos dias...” (Cidinha Araújo)

Perante este pensamento tão cheio de mensagens, recordei o que tem sido a nossa actividade nas tardes de 5ª feira.

Os bordados continuam a desenvolver o convivio e a fortalecer a amizade que tem unido o grupo. Servem também para contar o que nos vai acontecendo dia a dia e, muitas vezes, desabafar, “desatar os tais nós”, através dos nossos sorrisos, gargalhadas e conselhor. Lá vem o chá para aquecer o nosso ego, acompanhado pelos deliciosos bolos que ajudam a preencher a nossa linha...

A paixão das bainhas abertas engrandece os bordados e alicia a curiosidade das que não são dadas a esse tipo de trabalhos.

Mas a linha não pára. É como se “bordasse sonhos, histórias”, prendinhas que muitas vezes estão na mende de alguém para oferecer a outro alguém ou à espera que alguém mais tarde os use com orgulho em quem os fez.

Desta vez, o presépio atraiu a atenção de todos. Então, a experiência do “patchwork” embutido em esferovite ou dos quadros bordados ocasionou que a Sagrada Familia fosse retratada com diferentes padrões, cores e técnicas.

E não se ficou por aqui. É bom fazer o que se sonha e gosta. Três de nós juntaram-se a outras três do outro grupo de bordados para aprenderem a trabalhar em “pergamano” – uma espécie de bordado em papel vegetal de engenheiro. Uma técnica interessante, que nos ajuda a desenvolver o gosto pela criatividade, surgindo pequenos trabalhos que surpreendem quem os vê. A D.Dorila, vinda de Lisboa, mês a mês, atingiu o objetivo a que se propôs, ensinando-nos e motivando-nos para tal.

Eis-nos já no fim de mais um ano dedicado ao bordado. O tempo não volta atrás, mas sabe bem recordá-lo e aplaudir quem nos ajuda nesta actividade com a paciência que lhe é peculiar para nos aturar, sempre acompanhada pela experiência de alguem que gosta também de ajudar e partilhar os seus conhecimentos.

A todas as outras um obrigada por estes momentos que nos ajudam a viver e completam os nossos dias.

Um obrigada, também, à Srª Directora que nos vai visitando e dando espaço para a concretização dos nossos sonhos.

Obra de Santa Zita, Coimbra

30 de Junho de 2018

Maria de Lourdes Gonçalves